Uma empresa se depara com vários desafios ao longo de sua atividade e cabe aos gestores solucioná-los. Mas e quando um contratempo surge e ele está relacionado às finanças? Aí é comum que os administradores procurem por um empréstimo ou financiamento para saná-lo.

Porém, você sabe quais são as diferenças entre os dois serviços e qual deles seria a melhor decisão para o problema? Geralmente, essas perguntas aparecem sempre que o gestor se encontra durante a formulação de seu planejamento estratégico e teme seguir o caminho errado.

Para ajudar a sanar as suas dúvidas de uma vez por todas, preparamos um artigo onde lhe contamos no que estes serviços se diferem e as vantagens e desvantagens de cada um deles para que você escolha com sabedoria. Confira!

Diferenças entre empréstimo e financiamento

Duas modalidades para conseguir dinheiro para qualquer que seja a necessidade da sua empresa no momento, os serviços de financiamento e empréstimo possuem algumas diferenças.

Empréstimo

A mecânica de um empréstimo se baseia na tomada de recursos junto a um banco ou instituição autorizada a fazer esse tipo de serviço. Desse modo, você pede uma quantia de dinheiro emprestado para a financeira e, em troca, ela ganhará os juros que você pagará no processo.

Esta forma de adquirir recursos é amplamente utilizada graças a sua pouca burocracia e, geralmente, é adotada como o meio mais prático para conseguir dinheiro. Sendo assim, os bancos desenvolveram uma série de características próprias para o empréstimo, onde:

  • não é necessário explicar o motivo da tomada de recurso;
  • normalmente não há nenhum bem como garantia;
  • o acordo entre as partes é a única segurança do processo;
  • os juros são maiores devido ao alto risco de inadimplência que a instituição assume.

Na prática, um empréstimo é adquirido quando o tomador tem necessidade de obter um recurso rápido e sem muita burocracia. Por esse motivo, é geralmente mais caro que o financiamento.

Financiamento

O financiamento também é uma tomada de recurso e tem por finalidade sanar algum contratempo financeiro, geralmente a longo prazo. Porém, esse tipo de serviço traz uma série de peculiaridades que o diferem da simplicidade do empréstimo, como:

  • a necessidade de explicar ao banco quais os motivos da tomada do dinheiro e como o recurso será utilizado;
  • a garantia do financiamento ser, geralmente, o próprio bem que será financiado;
  • precisar apresentar uma série de documentos, como o Balanço Patrimonial e a DRE dos últimos 3 anos;
  • o valor tomado poder ser entregue diretamente ao vendedor do bem;
  • o banco pedir provas periódicas da aplicação do dinheiro como foi apresentado no projeto.

Como é possível perceber, os requisitos necessários para que o financiamento seja aprovado por uma instituição financeira são muitos. Entretanto, o banco oferece taxas bem menores se comparadas as de um empréstimo, pois há uma maior transparência e garantias mais sólidas.

Vantagens e desvantagens dos serviços de empréstimo e financiamento

emprestimo-ou-financiamento

Normalmente, os prós e os contras de um empréstimo ou financiamento estão intimamente ligados à instituição financeira que liberará o crédito. Sendo assim, cabe a ela criar meios para facilitar a tomada do recurso enquanto mantém as características principais de cada um.

De modo geral, as vantagens de um empréstimo estão na facilidade de acesso ao recurso, além da possibilidade de crédito com algumas financeiras mesmo com a conta negativada. A desvantagem está, obviamente, nos riscos desse serviço, além de taxas bem elevadas.

No caso dos financiamentos, a empresa tem a possibilidade de barganhar com a instituição financeira na apresentação do projeto, além de ter acesso a pequenas taxas de juros. Por outro lado, esse tipo de serviço não possui liquidez imediata e pode ser bastante burocrático até ser aprovado.

Tipos de empréstimos e financiamentos disponíveis

O mercado de crédito possui vários tipos de serviços diferentes que envolvem a tomada de recurso, seja na forma de um empréstimo ou financiamento. Por isso, o empresário precisa pesquisar no mercado qual o melhor tipo operação para o perfil da sua empresa.

No caso dos empréstimos, os bancos e financeiras geralmente dispões de algumas opções, entre as quais três são mais utilizadas pelas empresas:

  • investimento fixo, utilizado para bancar alguma ampliação da empresa;
  • capital de giro, que é praticado quando a empresa precisa de recursos a curto prazo;
  • investimento misto, especialmente contratado quando o cliente precisa de um capital de giro e investimento fixo.

Para os financiamentos, o quadro de opções é ainda mais variado devido à natureza mais conservadora desse tipo de tomada de serviço:

  • leasing, que é utilizado para maquinário e veículos em geral, onde a garantia é o próprio bem;
  • financiamento para projetos, destinado para grandes iniciativas, como a abertura de uma fábrica;
  • debêntures, que são títulos da dívida de uma empresa que emite papeis para arrecadar recursos de forma direta com terceiros — que ganham os juros dessa troca;
  • crowdfunding, um financiamento voltado para o lançamento de um novo produto.

Como saber quando optar pelo empréstimo ou financiamento

Para chegar na tomada de decisão final, o gestor precisa fazer uma análise prévia da situação financeira da empresa. Somente dessa maneira ele será capaz de distinguir qual das opções de crédito se encaixam melhor naquilo que foi planejado.

Geralmente, a necessidade de um empréstimo está ligada a alguma necessidade de curto prazo ou de caráter emergencial. Os gestores optam por esse serviço em situações específicas. Alguns exemplos são: corrigir um furo no caixa da empresa ou quitar uma dívida muito prejudicial.

Já no caso de um financiamento, a empresa que adota esse serviço está se lançando em algum projeto de longo ou médio prazo onde há um forte planejamento. Dessa forma, ela poderá pegar um recurso com taxas mais atrativas do que o empréstimo para realizar o projeto.

Como se prevenir ao obter um destes recursos

Para se precaver ao efetuar uma operação de empréstimo ou financiamento, o gestor precisará tomar uma série de cuidados. Com isso, ficará mais seguro ao aceitar uma oferta de crédito e conseguirá aplicar o recurso adquirido conforme o planejado.

É preciso suspeitar sempre de taxas muito abaixo do mercado. Fique atento às cláusulas de garantias do contrato e procure fazer simulações de como aplicará o recurso para não pegar mais dinheiro que o necessário. Essas medidas servirão para que você se previna em qualquer obtenção de crédito.

Como você pode perceber, um pedido de empréstimo ou financiamento requer uma análise profunda e a capacidade de assumir os riscos dessa operação. Porém, é preciso ter em mente que logo a dívida contraída pode gerar uma rápida solução para um problema ou criar um investimento.

E aí, já decidiu sobre a melhor opção de investimento para o seu negócio? Então agora confira este artigo sobre como organizar melhor as suas contas para controlar as despesas da sua empresa!

Migrar empresa para a Conube