Quer abrir empresa de consultoria, mas não sabe por onde começar ou quais as etapas deste processo? Bom, como em todo sonho, o primeiro passo é a capacitação para os desafios que estão por vir.

Para abrir uma empresa não é diferente. É necessário conhecer quais são os passos a serem seguidos e se preparar para as exigências, desde administrativas, até financeiras e de gestão do negócio. Mas devemos começar pelas etapas do processo de abertura. Se você não sabe como fazer, não se preocupe! Aqui vai um rápido passo a passo e algumas dicas do caminho a seguir.

Primeiro é importante que você responda a algumas perguntas básicas e frequentes. Você deve ter as respostas na ponta da língua antes de partir para a formalização da empresa propriamente dita:

  • Você terá sócios? Se sim, quem são?
  • Que nome a empresa terá (Isso pode variar de acordo com o formato, mas é bom já ter uma ideia)?
  • Quais as atividades que a empresa exercerá?
  • Quais serão os CNAEs serão utilizados?
  • Em qual endereço sua empresa vai se instalar?
  • Qual será o capital social da empresa?
  • Como o capital social será dividido entre os sócios?
  • Quem assinará como responsável pela empresa?

Feito isso, é a hora de começar a aplicar tudo e tirar suas ideias do papel.

Principais etapas para abrir empresa de consultoria

Conheça as etapas para abrir uma empresa de consultoria

O processo para abrir empresa de consultoria não é muito diferente das empresas de outras atividades. Basicamente o que vai diferenciar é na hora da escolha dos CNAEs e, por consequência, na alíquota de impostos a serem recolhidos. Vamos aos passos essenciais:

1º Passo – Determinar Formato Jurídico

Tudo começa pela definição do melhor formato jurídico para a sua empresa de acordo com o seu perfil. O que vai determinar isso é se você terá ou não terá sócios. Veja as opções:

Para empresas sem sócios

  • Empresário Individual (EI)
  • EIRELI – Empresa Individual de Responsabilidade Limitada

Para empresas com sócios

  • Sociedade Limitada (LTDA)
  • Sociedade Anônima (S/A)

2º Passo – Optar pelo Regime Tributário

Escolhido o formato jurídico, é hora de determinar o regime tributário. É esta opção que irá determinar o quanto e de que forma serão recolhidos os impostos da empresa. As opções são: Simples Nacional, Lucro Presumido ou até Lucro Real. As mais comuns são as duas primeiras. Veja!

Simples Nacional

É aplicável a Microempresas e Empresas de Pequeno Porte que faturem até R$ 4,8 milhões por ano. Sua finalidade é facilitar o recolhimento dos tributos unificando os impostos em uma única guia a pagar, tanto municipais, quanto estaduais e federais. O recolhimento por meio do Simples Nacional abrange os seguintes tributos: IRPJ, IPI, CSLL, PIS/PASEP, CPP, ICMS E ISS. Para se enquadrar nesse tipo de regime é preciso conferir se o tipo de atividade da empresa é permitido pelo Simples Nacional e se o sócio não possui nenhuma advertência que evite adotar o regime.

Lucro Presumido

Este regime é aplicável para as empresas que faturem até R$ 78 milhões por ano. Visa simplificar o cálculo dos impostos. Como o próprio nome diz, a Receita Federal já pré-determina qual será a porcentagem do lucro presumido de acordo com o faturamento, baseando-se na atividade exercida. Depois é gerado um valor médio de lucro e alíquota que as empresas devem pagar. A empresa que opta por este regime deve pagar diversas guias específicas e diversas declarações acessórias. O recolhimento por meio do Lucro Presumido abrange os mesmos tributos do Simples Nacional, porém pagos em guias separadas.

3º Passo – Definir o Porte da Empresa

Determinar o porte da sua empresa é o terceiro passo para iniciar a formalização e abrir empresa de consultoria. O enquadramento do porte da empresa está relacionado ao seu faturamento anual.

Para poder optar pelo Microempreendedor Individual (MEI), seu faturamento anual deve ser de até R$ 81.000,00. Além disso, esse modelo está restrito a algumas atividades e possui outras limitações, como só poder contratar um colaborador.

Para os outros formatos, não há muitas restrições. Para ser uma Microempresa (ME) o faturamento anual deverá ser inferior ou igual a R$ 360 mil. Já para quem quer optar pela Empresa de Pequeno Porte (EPP), o faturamento anual tem um limite bem maior, podendo ser de até R$ 4,8 milhões.

4º Passo – Escolha das Atividades

O CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) serve para informar às autoridades sobre qual o tipo da atividade exercida e padronizar os códigos de atividades econômicas, simplificando o enquadramento das empresas, além de permitir que vejamos previamente o quanto terá que pagar de impostos, taxas e contribuições para a União Estado e Município.

Para as empresas de consultoria, utilizam-se os seguintes CNAEs:

CNAE: 6204-0/00 – Assessoria e Consultoria em Informática

  • Anexo V, podendo ser do Anexo III dependendo do fator “R”
  • Alíquota de Impostos aproximada: 15,50% a 30,50%

 CNAE: 6621-5/02 – Auditoria e Consultoria Atuarial

  • Anexo V, podendo ser do Anexo III dependendo do fator “R”
  • Alíquota de Impostos aproximada: 15,50% a 30,50%

CNAE: 6911-7/01 – Consultoria em Direito

  • Anexo – Anexo IV
  • Alíquota de Impostos aproximados: 4,50 % a 33,00%

CNAE: 7020-4/00 – Assessoria e Consultoria em Recursos Humanos

  • Anexo V, podendo ser do Anexo III dependendo do fator “R”
  • Alíquota de Impostos aproximada: 15,50% a 30,50%

Quais serão meus custos?

Para abrir empresa de consultoria – ou qualquer outra empresa-, bem como para manter uma empresa aberta, é necessário se planejar financeiramente também. Para a abertura, pagar algumas taxas é necessário. Os custos variam de acordo com a localização da sua empresa e a atividade que ela exerce. Veja uma estimativa de alguns custos:

  • DARE (Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais) – Valor: de R$ 60,00 a R$ 300,00
  • DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) – Valor aproximado: de R$ 10,00 a R$ 21,00
  • Junta Comercial – Depende do município
  • Certificado Digital – Valor aproximado R$ 250,00
  • Consultoria – Varia de empresa para empresa

custos_para_abrir_empresa

Quais são os documentos necessários?

  • Contrato social ou requerimento de empresário individual ou estatuto;
  • Requerimento padrão (capa da junta comercial), em uma via;
  • FCN (Ficha de Cadastro Nacional) modelo 1 e 2, em uma via;
  • Cópia autenticada de RG e CPF do titular ou dos sócios;
  • 1 cópia autenticada do comprovante de residência dos sócios;
  • 1 cópia autenticada do IPTU do Imóvel – sede da empresa.

Por que regularizar minha empresa de consultoria?

O consultor deve ser o modelo para seu cliente. A empresa deve estar registrada na Junta Comercial, na prefeitura da cidade e na Receita Federal. Se na sua empresa houver empregados, eles devem estar registrados e com a documentação legalizada. Mostre ao seu cliente que você é um consultor de confiança, e não apenas sabe das coisas, como segue os próprios conselhos.

Saiba mais sobre consultoria

O que é consultoria?

A consultoria é a prestação de serviço que tem como finalidade analisar e encontrar uma solução para ajudar uma pessoa em uma determinada ocasião ou assunto. Portanto, para ser um consultor é preciso ter um conhecimento muito amplo, afinal é ele quem vai auxiliar o cliente na tomada de decisão.

Breve história da consultoria

O surgimento dos profissionais da consultoria deu-se por conta dos primeiros cursos de Administração de Empresas que foram praticados nas instituições dos Estados Unidos no século XIX. A consultoria só foi introduzida na sociedade em meados de 1930, após a quebra da Bolsa de Nova Iorque em 1929, mais conhecida como a crise de 29. Foi quando surgiu a necessidade de um planejamento para acautelar-se contra futuras crises, indo atrás de aconselhamentos financeiros, estratégicos e organizacionais. Após esse acontecimento a consultoria se expandiu e ganhou o mercado.

Consultoria Online

E então, entendeu como abrir empresa de consultoria e suas particularidades? Deixe seus comentários!