Estrutura é a palavra-chave principal para um bom planejamento financeiro empresarial. É a partir de um plano de ação bem organizado, que você consegue tomar boas decisões e garantir o crescimento do seu negócio. Com uma base sólida, você ganha tempo e informação para projetar lucros, antecipar períodos de alta e baixa, além de saber o momento certo de investir ou de poupar.

Para te ajudar, organizamos um passo a passo bastante funcional, com dicas para aumentar o seu capital de giro, organizar o seu fluxo de caixa e te ajudar a ter uma visão real da saúde financeira da sua empresa, afinal, todo empreendedor precisa se sentir no controle do seu negócio. Confira!

O que é um planejamento financeiro empresarial?

O planejamento financeiro empresarial é uma organização tangível da situação financeira da empresa. É a forma como você organiza suas ideias e cria um roteiro para alcançar todos os objetivos do negócio.

Ter um plano de negócios dessa categoria é fundamental porque ajuda na tomada de decisão, como falamos antes. A partir dele, você sabe por onde começar, quais as oportunidades do mercado, o que dá e o que não dá para assumir financeiramente, entre outros detalhes.

Estrategicamente, o planejamento financeiro é necessário e você não precisa de nada muito complexo para criar o seu próprio plano de ação.

Passo a passo para criar um plano de ação financeiro para sua empresa

Planejamento Financeiro Empresarial - Texto

Passo 1 – Determine as metas financeiras da empresa

Você já ouviu aquela máxima que diz que se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve? Com a falta de controle financeiro empresarial acontece o mesmo. Se você não tem metas e não sabe qual o propósito do seu negócio, não saberá quando e como atingir o sucesso.

Portanto, inicie o seu planejamento financeiro listando todos os objetivos que você almeja para o seu negócio. Relacione o que motivou você a investir nesse ramo e o que faz as pessoas comprarem da sua empresa.

Quando você estabelece metas, sabe automaticamente o quanto precisa investir para alcançá-la. Ou seja, fica muito mais fácil tomar decisões sem arriscar o sucesso da empresa.

Lembre-se que é muito importante ter grandes objetivos, mas nesses casos, divida-os em metas menores, que são mais fáceis de administrar e são uma forma tangível de alçar voos maiores.

Passo 2 – Inicie uma reserva de emergência

Por menor que seja o valor, é sempre importante manter uma reserva financeira. Programe-se para guardar uma porcentagem dos ativos da empresa todos os meses.

Essa reserva dará suporte em meses de baixa, além de ser essencial em momentos nos quais você precise fazer um investimento – previsto ou não no planejamento financeiro.

Uma boa estratégia para construir uma reserva de emergência é reduzir custos do seu negócio, o que irá garantir um respiro financeiro. A redução de custos inclui a negociação de custos fixos, como aluguel e pagamento de fornecedores e os variáveis, que incluem contas de consumo como água, luz e compra de matéria-prima, por exemplo.

Passo 3 – Organize as dívidas do negócio

Quem empreende sabe que, muitas vezes, é preciso fazer investimentos e recorrer ao crédito para que o negócio prospere. No entanto, é ainda mais necessário manter o controle dessas dívidas, a fim de assegurar a saúde financeira do seu negócio.

Embora o investimento seja necessário, as dívidas são um risco aparente e podem comprometer o fluxo de caixa da empresa. Portanto, o seu planejamento financeiro deve considerar a situação de todas as dívidas em aberto, bem como um plano de ação para quitá-las no menor tempo possível.

Passo 4 – Mantenha o balanço patrimonial em dia

O balanço patrimonial é um relatório contábil que oferece uma visão geral sobre a saúde financeira da empresa. A partir desse relatório você consegue, por exemplo, desenvolver projeções mais assertivas quanto aos passivos e ativos e criar um plano de contingência para os períodos mais críticos.

Dessa forma, é preciso manter esse relatório sempre atualizado para garantir que você terá todas as informações financeiras do seu negócio para apoiar o seu planejamento financeiro.

Passo 5 – Monitore constantemente o plano de ação

O que não é monitorado, não pode ser melhorado. Portanto, é fundamental para a gestão empresarial, que haja um monitoramento do plano de ação.

Estabeleça um período máximo de três meses para revisar a estratégia e analisar os resultados. O planejamento financeiro alinhado ao monitoramento ajuda a identificar problemas antes mesmo que eles apareçam, inclusive.

Dica Bônus – Separe as finanças pessoais das empresariais

De nada adianta fazer uma boa definição das finanças, desenhar um bom planejamento se, em contrapartida, você não acompanhar a execução e o controle dos gastos, não é mesmo?

Por esse motivo, ter uma conta bancária exclusiva para o seu negócio pode ser uma boa alternativa para controlar todas as entradas e saídas da sua empresa mais rapidamente e otimizar seu planejamento financeiro. Além disso, uma conta PJ digital se torna aliada por ter taxa zero de manutenção e serviços financeiros personalizados para as necessidades de quem empreende.

Análise SWOT: como ela ajuda no planejamento financeiro empresarial?

A análise SWOT, desde que bem aplicada, pode se tornar o seu maior aliado na hora de fazer um planejamento financeiro.

A sigla, em inglês, é composta de quatro letras:

  • S (strenghts); são as forças da sua empresa;
  • W (weaknesses): são as fraquezas da sua empresa;
  • O (opportunities): são as oportunidades de mercado
  • T (threats): são as ameaças apresentadas pelo mercado (concorrentes).

Cada uma dessas letras representa as pontas de um quadrante, consideradas as estruturas essenciais, responsáveis por fazer a empresa crescer.

Antes de tudo, em cada um dos quadrantes, você deve identificar:

  • As forças do seu negócio. Aqui entram as suas maiores fontes de renda, como produtos ou serviços mais vendidos. Também considere a sua estrutura, time, maquinário e tudo o que, internamente, gera uma boa renda para o negócio;
  • As fraquezas seguem no oposto do quadro anterior. Identifique as questões financeiras que arriscam o seu negócio, como a falta de uma estrutura, dívidas, ausência de capital de giro, etc;
  • As oportunidades devem ser preenchidas considerando o mercado que você atua. Seja muito realista e, acima de tudo, tenha cuidado para não listar como oportunidade o que não passa de expectativa;
  • Por fim, para fechar a análise, em fraquezas você identificará concorrentes, períodos de baixa, possíveis crises no mercado, etc.

Logo, com a análise SWOT concluída, é possível traçar um plano de negócios muito mais eficiente e tomar melhores decisões, otimizando seu planejamento financeiro sem comprometer a gestão da sua empresa. Lembre-se também de realizar essa análise periodicamente!

* Este conteúdo foi produzido pelo time da nossa parceira Cora, uma Conta Digital PJ criada por empreendedores e para empreendedores, projetada para libertar quem empreende de burocracias e taxas abusivas, afinal, descomplicar a gestão financeira do pequeno negócio é essencial. A conta Cora oferece um leque de soluções, que vão desde a emissão de boletos e transferências PIX gratuitas até uma ferramenta completa de gestão de cobranças.